Seu clique em nossos anúncios nos ajudam a nos manter online!

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

COMUNIDADE RAP DOWNLOAD ENTREVISTA – CAHEGI

Por Nádia Castilho
Giovanni Eduardo de Mendonça, vulgo Cahegi natural de Guará II, cidade Satélite de Brasília têm uma carreira dentro do Rap que completa 20 anos no ano de 2018. Exerce múltiplos trabalhos como cantor, compositor, produtor em diversas áreas, poeta, e fotógrafo. Possuí 16 trabalhos gravados entre Álbuns e Eps, solo e em co-participação com nomes do Rap Nacional. A sua temática briga pelo igualitário entre os semelhantes, que afetados pela desigualdade necessitam de visibilidade perante uma sociedade omissa.
Esse ano lançará mais alguns trabalhos e o Site COMUNIDADE RAP DOWNLOAD, entrevista Cahegi para conhecer o que vamos apreciar de novidade do Rap de Brasília.


CRD - 1 - O seu último Álbum gravado foi em 2016 (AINDA HÁ ESPERANÇA). Agora em 2017 você vai lançar mais alguns trabalhos, pode falar sobre a temática, e o que o público pode esperar desse projeto?
CAHEGI – Primeiramente um salve a todos que estão lendo essa entrevista, meus sinceros agradecimentos ao público do Rap Nacional e a vocês do COMUNIDADE RAP DOWNLOAD pela oportunidade. Bom, eu estarei lançando uma mixtape, a TERCEIRA EDIÇÃO DO FAMÍLIA DE MONSTROS, e para comemorar essa terceira edição vou soltar 3 disco de uma só vez, cada um com uma temática diferente. O projeto consiste em juntar as participações que eu faço, colaborando com diversos artistas do Rap Nacional e de diversos Estados, também com alguns convidados meus mesmo para compor o elenco. Como eu falei teremos 3 discos diferentes, DIVERGENTES, que será com uma proposta mais política, mais agressiva, o RESGATE que teremos uma proposta mais espiritual e o NUS GRAVE que é mais pesado na base, porém mais debochado, mais moleque mesmo. Em todos teremos grandes participações como Facção Central, Moyses, Brasil deficiente, Realidade Cruel, Consciência X Atual, Sob Suspeita, Ideologia e Tal, Angel Duarte, Cintia Savoli, Rakel Reis, Lauren Priscila, Falange ex Facínora, Face a Face, Visão em Ação, Código Penal, Mano Mix, entre muitos outros grandes artistas que temos. Também vou soltar mais três mixtape até o fim do ano, REVIDE que é uma junção de vários artistas de vários estados, Diss-Paro para os meus desafetos (RINDO ALTO) e 18klts de Amor um mais leve que foge um pouco da minha proposta, mas que é um desafio da hora. Ulrich Duz Beats cuidou de uma grande parte da produção.  AGUARDEM


CRD – 2 – Embora muitos indiquem que o Rap Nacional nasceu em SP há indícios fortes que nasceu simultaneamente em Brasília – DF. Como você enxerga a participação de Brasília dentro do Cenário do Rap Nacional; e porque na sua ótica, mesmo que SP e DF tenham contribuído paralelamente para o Nascimento do RAP no Brasil, ainda assim o Estado de São Paulo é predominante?
CAHEGI – A participação de Brasília foi e é fundamental, sabido que a proposta já não é a mesma, porém, o Rap aqui é muito forte, temos grupos de expressão nacional, e grupos como Cambio Negro,  Gog, Viela 17, Baseado nas Ruas, Cirurgia Moral, Alibe, grupos esses que foram fundamentais na construção do cenário do Rap do Df, além de um dos maiores produtores DJ Raffa. Penso eu que São Paulo tenha um estilo de Rap, Brasilia tem outro, mas na verdade cada estado é responsável pelo crescimento do Rap no Brasil e o mais bacana disso tudo é que cada estado tem sua particularidade, suas gírias, seus modos, sua levada, cada estado tem seu estilo.


CRD – 3 – Notei nas suas letras além do Rap Pancada, você usa muito a Frase, “Cahegi A Voz de quem não têm a voz”, visto que a sua militância é pelo igualitário, essa frase vai de encontro? Pode nos explicar?
CAHEGI – Bom, o IGUALITÁRIO  que eu desejaria ver, era de classes, mas o que na realidade mundial e atual parece ser utopia, visto que o capitalismo grita, inclusive nos jovens de periferia, gerando assim essa onda de violência, que não se resume apenas em nosso País, mas pelo mundo. A pobreza, miséria, fome, tudo isso gera violência, assim como a ganância, ambição, cobiça, e daí vêm as guerras. Parece até prepotência da minha parte, mas eu dou vida aos moleques que escutam minhas músicas, eu resgato, eu liberto, pois acho que essa é o real dever do Rap Nacional. E é sabido que a maior parte da população marginalizada e periférica do país não tem consciência do poder que tem em mãos, mas a falta de informação tira eles da luta, os colocando medo, oprimindo, enfim. CAHEGI A VOZ DE QUEM NÃO TEM A VOZ


CRD – Antigamente o Rap não tinha a mesma visibilidade, mas devido a popularização da Internet e a facilidade de produções caseiras aumentou drasticamente o número de pessoas que disponibilizam suas criações, você enxerga de maneira positiva, se sim porquê?
CAHEGI – Sim. Minha visão é que, necessariamente devemos ter o entretenimento, porém devemos sempre lembrar de onde viemos, qual nosso papel dentro desse movimento, o por que lutamos, qual de fato é a nossa intenção. Mas é muito válida essa expansão sim. Porém, percebo que estamos perdendo tudo isso que eu falei a cima, estão fazendo com o rap o que fizeram com o sertanejo, com o forró, com o funk brasileiro, com o reggae, entre outros estilos, ESTÃO COMPRANDO TUDO E VENDENDO TUDO. Tirando a raiz, e matando a estrutura.


CRD – Caso nosso público queira apreciar e acompanhar o seu trabalho, quais os canais disponíveis?

CAHEGI – Youtube, Palco MP3, Facebook, Instagram, Segue nois que é RAP PANCADA.

ENCONTRE ALGUNS ÁLBUNS DE CAHEGI AQUI NO COMUNIDADE RAP DOWNLOAD, BAIXE, CONHEÇA E COMPARTILHE :

http://www.comunidaderapdownload.net/2011/01/cahegi.html

Um comentário:

Contato - Bocada Forte disse...

Salve!

Acompanho o site de longa data, acho um trabalho fantástico. Se quiserem espaço no Bocada Forte pra divulgar o nome do site e as entrevistas dêem um salve em mim no Facebook, Bruno Gil ou pelo e-mail contato@bocadaforte.com.br grande abraço!